Ninguém merece as tuas lágrimas

banco-no-jardim

Ninguém merece as tuas lágrimas, pois se as merecesse não te fazia chorar.

Estava sentado em Belém, num dos muitos bancos de jardim existentes no vasto relvado quando, sem dar conta, alguém se senta ao seu lado, lhe mete a mão no ombro e com a outra lhe oferece um lenço para que pudesse enxugar as lágrimas enquanto profere estas palavras. Continue reading “Ninguém merece as tuas lágrimas”