Não desistas de ti

SONY DSCPor vezes fazemos figuras de urso. Por vezes somos uns grandes idiotas. Há alturas em que somos egoístas e não percebemos o quanto magoamos quem nos ama com as nossas atitudes. Afastamo-nos, deixamos família e amigos preocupados, e tudo porque não nos amamos a nós próprios. Tudo porque não percebemos a dor que nos corrói por dentro e que parece não nos deixar respirar. As lágrimas vão caindo, e aos poucos percebemos que não conseguimos estar sozinhos, mas que em contrapartida também não conseguimos estar acompanhados e decidimos afastar-nos do mundo, afastar-nos de nós, e acreditar que como por milagre alguma força vinda do além, ou de um outro universo, nos vai fazer reagir. Abrimos a nossa conta de e-mail e vemos dezenas de mensagens por ler, mensagens de carinho, de amor, de preocupação e algumas mesmo de revolta; mas preferimos Continue reading “Não desistas de ti”

O Adeus

black_and_white_portrait_of_guy_next_to_a_window

Como é possível os sentimentos mudarem assim de um momento para o outro? Como é possível uma relação de seis anos ir assim por água a baixo, sem um motivo minimamente válido? Dizes que sou acomodado, que te dou tudo o que posso mas que isso não chega para ti. Dizes que te apaixonaste pelo António e que apesar de não te amar tanto como eu, te dá uma sensação de liberdade e adrenalina que nunca te dei. Seis anos das nossas vidas que afinal foram em vão. Tinha tudo para ser perfeito, parecia um amor inabalável. Chego à conclusão de que realmente foste muito boa atriz, não percebo como se pode fingir tão bem que se ama alguém. Fizeste-me acreditar que era eterno, que irias ser tu a mãe dos meus filhos e que um dia morreríamos juntos, de mãos dadas numa qualquer noite solitária. Fizeste-me acreditar no amor. Acabaste de fazer com que deixe de acreditar nesse mesmo amor. Dizem que os homens não choram, mas conseguiste deixar-me num estado tal que até o Bill fica a olhar para mim como se me quisesse confortar e não conseguisse. Deixaste-me de tal forma que até este Continue reading “O Adeus”

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑