Medo

Medo.
Aquele sentimento que nos sufoca e que ao mesmo tempo nos faz sentir seguros longe do que não conhecemos.

Medo.
A desculpa perfeita para tudo o que na realidade não tem justificação.

Medo.
Medo de sofrer.
Medo de arriscar.
Medo de sentir.
Medo de amar

Continue reading “Medo”

Anúncios

Tudo acontece quando tem de acontecer

brannon-naito-414362-1320x720.jpg

Há alturas em que temos de parar. De pôr pontos finais onde já não há espaço para vírgulas e pôr vírgulas naquelas f(r)ases que julgávamos não precisar.
Por vezes não parar é só uma forma de nos protegermos, de não pensarmos no que somos, onde estamos e para onde queremos ir.
Não parar ajuda-nos a camuflar quem somos e não queremos ver. Ajuda-nos a não questionar o presente e a viver em função de tarefas diárias com as quais não nos identificamos.

Mas um dia quebramos.

Continue reading “Tudo acontece quando tem de acontecer”

Deixa-me adivinhar

Liberte-se das redomas mentais

Sei que às vezes querias voltar a viver numa bolha.

Naquela em que viveste durante anos e que não te deixava ser quem és.
Ao menos quando estavas protegido pelas suas finas paredes de sabão, que a ti mais pareciam muros de betão, não viam quem tu és mas sim quem queriam que fosses, e assim não te julgavam por quem és mas sim por quem julgavam seres, estou certa? Deixa-me adivinhar, às vezes ainda desejas profundamente criar uma nova bolha. Voltar a guardar tudo o que sentes num cantinho do teu peito e não demonstrar a ninguém quem realmente és mas apenas quem os outros querem que sejas.
Ou então, pensas em voltar atrás no tempo e deitar para trás das costas todo o processo de evolução e mudança pelo qual batalhaste nos últimos anos e que serviu para poderes ser tu, como és, sem artifícios.

Adivinhei? Continue reading “Deixa-me adivinhar”

Prefiro acreditar no Amor

alone_chilling_fashion_girl_lady_leisure_lonely_mindful-924937

Dizem que o Mundo anda perdido, que as pessoas vagueiam pela vida num instinto de sobrevivência, sem parar para respirar ou sequer fazer um esforço para olhar em redor. Já não há crianças na rua. O medo apoderou-se de tudo e de todos. Parece que todos vivem em função do seu umbigo e que mais nada importa para além de si mesmo. Até ter um filho, ou um cão, se tornou uma forma de ostentação e não um ato de amor. Amor…essa palavra que tantos, por opções de vida, confundem com comodidade.
Há muito desejo confundido com amor, há muito carinho confundido com amor, há muita ostentação denominada de “amor”.

Mas eu prefiro acreditar no amor verdadeiro. Continue reading “Prefiro acreditar no Amor”

TU és importante! Sim, TU!

635996326318967000-735057824_legs-window-car-dirt-road-51397

Constantemente somos postos à prova…aqueles que um dia nos prometeram o Mundo são os mesmos que agora nos tiram o tapete  debaixo dos pés…e isto acontece com uma frequência tal que ainda não nos conseguimos levantar e já estamos novamente em queda.
Se pensarmos bem, a Vida não passa disso mesmo; um Cai e Levanta,um ilude e desilude, um agora Amo-te mas daqui a pouco já te odeio…

Mas será que tem mesmo de ser assim? Continue reading “TU és importante! Sim, TU!”

Caminhada de pés descalços

12687933_469639446552496_4373356558155572686_n

O caminho era longo, e ela fazia-o com os pés descalços e o coração nas mãos.
Nunca antes se tinha imaginado em tamanha luta.
Até ali nunca pensara em desistir de sonhos antigos, em criar novas expectativas ou até mesmo em negar os seus sentimentos. Tinha um grande percurso pela frente, percurso esse a que toda a gente em redor chama de vida, mas que ela preferia apelidar de amor. Continue reading “Caminhada de pés descalços”

Carta ao André

c
10 anos…10 anos de amizade, de cumplicidade e de amor.

Sim, estas a ler bem. Há muito, muito tempo que eu te tento encontrar nos outros homens. Há anos que me tento enganar a mim mesma negando aquilo que sinto e tentando substituir este amor que não tem fim por um sentimento entre a pena, o desejo e a compaixão que vou sentindo por outras pessoas.
Ultimamente tenho-te dito que és um dos homens da minha vida e que te adoro, mas queres saber uma coisa? Continue reading “Carta ao André”

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑